sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Pão e vinho... do Porto

 
Portugal é legitimamente conhecido pela sua gastronomia e pela qualidade dos seus vinhos, sejam eles brancos, tintos, verdes, rosé, moscatel, espumante e como não poderia deixar de ser pelo seu vinho do Porto. Não é minha intenção falar aqui das qualidades das castas com que se faz o vinho do Porto, nem da importância deste néctar para a economia nacional... a minha intenção é bem mais modesta e corriqueira.
 
Hoje a meio da manhã, naquela hora do dia em que os estômagos mais "madrugadores" acionam um alerta, observei numa mesa de esplanada de um café, em meio mais ou menos urbano, uma senhora que aparentava estar na classe dos octogenários, provavelmente oriunda de um meio rural, com a sua saia rodada, avental de chita à cintura, lenço na cabeça decorado a cornucópias e atado por baixo do queixo, meias de lã e sapatos pretos de cunha de borracha, a beber um aconchegante cálice de vinho do Porto. Bebia-o com enorme satisafação e à sua frente estava um outro cálice, igualmente cheio de Porto, com um dourado a condizer com o outono. Não havia ninguém a partilhar a sua mesa, certamente seria para a sua "comadre" que ainda não estava despachada da "consulta dos olhos".

Antes que me acusem de estar explícita ou implicitamente, a formular um qualquer juízo de valor sobre as pessoas dos meios rurais ou sobre as mulheres portuguesas, quero deixar bem claro que me regalei e orgulhei com a situação, pois a mesma fez-me lembrar o quão genuínas são as pessoas do campo, que assumem os seus hábitos e costumes de dias diferenciados. Aqui, pelas aldeias das minhas bandas, o vinho do Porto é sempre uma presença em todas as casas e as visitas são sempre generosamente recebidas e tentadas com um cálice de vinho do Porto... a hospitalidade é brindada com pão e vinho... do Porto sobre a mesa!

9 comentários:

  1. Agora parece que ouvi o Carlos Paião cantar Vinho do Porto. :')

    ResponderEliminar
  2. À nossa saúde, um dia deste havemos de beber um cálice de vinho do Porto juntas.

    ResponderEliminar
  3. nós, devíamos ter vergonha... quantas vezes reprimimos vontades com medo do que os ouros vão pensar?

    ResponderEliminar
  4. adorei a descrição...um verdadeiro quadro da tradição!

    ResponderEliminar
  5. um quadro, que muita gente há de desprezar por sobranceria saloia. é uma pena, que num país com tanta tradição e património, não levemos em conta a natureza genuína dessas pessoas. eu, só tenho é pena de não gostar de vinho. já tentei de muitas maneiras e feitios, mas parece que não vou lá...

    ResponderEliminar
  6. E é tão bom sermos recebidos com um cálice de Vinho do Porto :)

    ResponderEliminar